quarta-feira, 13 de abril de 2011

Resenha crítica do filme: " O DIABO VESTE PRADA" (português)


OLHEM MEU CLIPE DE 15 ANOS
Feito totalmente por mim
 “O Diabo Veste Prada” não é um filme necessariamente para mulheres, nem indicado apenas para o público que entende de moda, e sim um filme que diverte o público em geral.
Na minha primeira imprensão sobre o filme, achei que fosse mais um “filminho” qualquer, mas o que realmente temos é um filme bem produzido, com ótimas interpretações e textos, com um belíssimo cenário e com um tema muito interessante.
O humor  do filme se origina nas crescentes e impossíveis exigências da chefa Miranda, e das tentativas de sua assistente Andréa em satisfazê-las. Apesar da leveza do filme, tem algo de interessante e sério a mostrar, que é a falsidade da personalidade no local de trabalho, e sobre quem as tolera.
Aquelas pessoas ambiciosas, chatas, temperamentais, aborrecidas, arrogantes e exigentes, sempre são postas como indesejadas. Principalmente se uma delas for o seu (sua) chefe (a). Dai para achá-la o próprio diabo que veio a terra pra infernizar e dificultar sua vida é um passo. Miranda é a "monstra" no filme.
Para aqueles que já trabalharam para um patrão indesejável em todos os sentidos, vão apreciarem esta leve e espirituosa comédia.
A protagonista do filme, Andréa, é uma jornalista recém formada, que vai para New York atrás de seu sonho de ser jornalista, mas que acaba como assistente da editora da tal revista de moda, já que a lenda é que esse trabalho abre qualquer porta depois. Determinada a vencer, ela agarra a oportunidade com unhas e dentes e só percebe o preço de sua escolha, quando vê seus relacionamentos acabarem.
Como conciliar mundos tão distintos, uma vez que desejar vencer como profissional não é nenhum crime?  O filme não mostra claramente essa resposta, mas depois de visto o filme, não precisa ser nenhum gênio para saber interpretá-la da devida forma.
Miranda, é que dá um belo impulso ao filme e ha protagonista Andréa. Desde a sua primeira cena do filme até a última, ela esbanja beleza, charme e ousadia, e o mais importante, muita maldade no ar. Sinceramente, os méritos vão à bela atuação da atriz, que compôs muitíssimo bem o seu papel.
Tanto Miranda quanto Emily (a 1ª assistente) transmitem a Andréa os piores trabalhos, mas evolutivamente a garota  vai conquistando a confiança da poderosa editora e ultrapassando o potencial de Emily, mas a jornalista paga um alto preço por sua transformação em um ‘saltinho’, cobrada sem demora por seu namorado e pelos antigos amigos.
A sociedade capitalista, seduz principalmente nos mulheres, por cauda da grande repercussão da moda no mercado social/industrial. Mas isso de fato não acontecia com Andréa antes de mudar para New York. Para se vencer hoje em dia é preciso pagar um preço caro, e ela pagou.
Então vamos ao que interessa. Miranda a editora chefa da revista de moda Runaway, não é "diabo" como o titulo do filme rotula. Ela é apenas uma mulher obcecada pelo trabalho, exigente consigo mesmo e com os outros. E faz sua nova assistente Andrea comer o pão que o diabo amassou, para provar o quanto é boa e eficiente.
Esta comédia levanta questões interessantes. Afinal, Miranda é vista como o diabo, porque é mulher. E se fosse um homem, será que suas ações seriam vistas assim? Certamente, não. O machismo sempre perseguirá as mulheres e nesse filme, as duas (Andréa e Miranda) são vitimas dessa sociedade preconceituosa.
O filme é engraçado, ágil, sedutor e se não fosse o moralismo do final, seria um pouco precipitado. Tirando a causa que o filme motiva, ele pode ser considerado sim, um bom programa.
Tenho certeza que você já usou alguma roupa para impressionar alguém (chamar a atenção). Somos carentes sim de atenção. Tenho a impressão que o melhor caminho é aceitação da nossa humanidade e dos nossos semelhantes sob a nossa personalidade. Afinal, é sempre bom lembrar que a "humildade é a verdade".
De fato, a ditadura da moda já esta lançada na sociedade atual. Um caso curioso que poço analisar é da recente tragédia no Rj que mobilizou todo o Brasil; em Realengo, o ex. aluno Welington Menezes invadiu sua ex. escola, matando e ferindo por volta de 20 alunos e depois se mata. O alvo dele eram matar meninas. Segundo uma carta deixada, ele conta que gostaria que seus parentes doassem para uma instituição a casa que ele morava; mostra muita compaixão com animais indefesos, desvaloriza os humanos em geral; mostra carinho com os falecidos pais; conta de sua virgindade aos 24 anos; e enfim, mostra ser uma pessoa consciente, religiosa e revoltada. Ele tinha um estilo próprio; com barba grande e roupas simples. Poço afirmar que 99,999... % das pessoas que viram a notícia se revoltaram contra o assassino, algumas ate choraram e se perguntaram o porquê dessa banalidade cruel. Eu penso que ele foi mais uma vitima da sociedade capitalista. Segundo alguns indícios, por sua amarga aparência, na infância ele sofreu na escola o bule e o desprezo ate então das mulheres. Agora, eu pergunto para refletir; e se não houvesse esse pré-conceito contra ele por parte de todos; será que ele seria revoltado a ponto de fazer tamanha crueldade? E se na escola tivessem cortado o mau pela raiz, mesmo tendo transtornos psicóticos, será que chegaria ate esse ponto? Com certeza não. As pessoas tendem a rejeitar tudo o que é diferente; que não se encaixa em seus padrões de vida. Quem opta por ter seu próprio estilo, independente do que dita a moda ou os padrões sociais, tem que aprender a lidar com isso e digo mais, Welington não soube lidar com isso, e pode ser sim uma resposta que todos querem saber. Em nenhum momento eu estou tentando justificar tal massacre, e sim tentando entender o que de fato ocorreu.
Tudo que e diferente gera transtorno na sociedade; não só com emos mais com naturalistas etc. Tudo o que e considerado anormal pelo padrão de sociedade gera um preconceito. Não se deixem iludir pela ditadura da moda imposta pela mídia e sejam muito felizes com seu próprio estilo!
OLHEM MEU CLIPE DE 15 ANOS

4 comentários:

  1. Muito obrigado...

    Dayana Melo

    ResponderExcluir
  2. Nossa... Não gostei do "Poço afirmar..." rsrs
    Fora isso está ótimo! hehe

    ResponderExcluir
  3. muuito bom , adorei !

    ResponderExcluir